terça-feira, 26 de junho de 2012


26/06/2012 16h45 - Atualizado em 26/06/2012 21h05
Coca-Cola brasileira tem taxa maior de corante cancerígeno, diz estudo
Valor encontrado ainda está abaixo do limite estabelecido pela Anvisa.
Substância é usada no corante caramelo, usado na bebida.
Do G1, em São Paulo
190 comentários
Um estudo divulgado nos Estados Unidos pelo Centro de Ciência de Interesse Público (CSPI, na sigla em inglês), nesta terça-feira (26), mostra que as latas do refrigerante Coca-Cola vendidas no Brasil têm a mais alta concentração da substância 4-metil imidazol (4-MI), que, em altas quantidades, poderia levar ao câncer.
País
Quantidade de 4-MI por 355 ml de refrigerante
Brasil
267 microgramas
Quênia
177 microgramas
Canadá
160 microgramas
Emirados Árabes Unidos
155 microgramas
México
147 microgramas
Reino Unido
145 microgramas
Estados Unidos (Washington)
144 microgramas
Japão
72 microgramas
China
56 microgramas

Gabinete de Demóstenes Torres era como escritório de Carlinhos Cachoeira | Jornal Correio do Brasil

Gabinete de Demóstenes Torres era como escritório de Carlinhos Cachoeira | Jornal Correio do Brasil